Microsoft apresenta resultado dos investimentos sociais de 2006

Relatório Social mapeia as ações de responsabilidade social corporativa

A Microsoft Brasil apresentou em 27 de março os resultados das ações de responsabilidade social e corporativa desenvolvidas ao longo do último ano, que compreende o período entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2006. Todas as iniciativas estão detalhadas no Relatório Social 2006 – Seu Potencial, Nossa Inspiração, produzido pela Cross Content. Esse é o quarto ano de publicação do texto, que aborda a missão e os objetivos das ações de cidadania da companhia.

A publicação enumera os esforços da Microsoft para transformar a tecnologia em um importante instrumento de inclusão social e facilitador do desenvolvimento econômica do país. O Relatório Social 2006 traz um balanço dos programas da Microsoft que existem para desenvolver ações que contribuam para a melhoria da qualidade do aprendizado na rede pública de ensino, promover inclusão digital e levar o acesso ao computador para jovens de regiões carentes de todo o Brasil.

“Por trás das dezenas de ações da Microsoft há um fio condutor claro: a certeza de que a empresa atua no Brasil não apenas com propósitos comerciais, mas também com o objetivo de dar a sua contribuição para o crescimento econômico e o progresso social do nosso país”, afirmou o presidente da Microsoft Brasil, Michel Levy. “Queremos ser reconhecidos como uma empresa que participa do progresso das comunidades que nos acolhem, ajudando a levar os benefícios da tecnologia a um número cada vez maior de pessoas”, completou Levy.

“Usamos a tecnologia como instrumento para divulgar o que acontece na escola e na nossa região”, comentou Edilamar Zago, da Escola Estadual Professor Isaac Schraider, de São Paulo, durante a cerimônia de anúncio do Relatório Social 2006. A professora recebeu o Prêmio Microsoft Educadores Inovadores 2007 pelo projeto de revitalização do córrego Cipoaba, localizado na Zona Leste da capital paulista. “Nossa escola fica numa região muito carente, em todos os sentidos, eu moro lá e todos precisamos ajudar onde estamos. A população quer ajudar, quer participar. Com este projeto criamos uma pressão social, é assim que se forma um cidadão. Acreditar que é possível, todos têm potencial”.

Rodrigo Baggio, diretor executivo do CDI – Comitê pela Democratização da Informática, e parceiro da Microsoft em ações de inclusão digital comentou na cerimônia do anúncio do Relatório Social 2006 que este ano sua ONG completa doze anos de trabalho de promover cidadania com inclusão digital. “Trabalhamos em parceria com a Microsoft desde 1997. Entendemos que a tecnologia precisa ser vista como uma ferramenta cidadã. Ela tem um sentido comunitário e pessoal, é uma arma revolucionária em nossas mãos”, finalizou.

Entre os programas mantidos pela empresa estão o Potencial Ilimitado, que já beneficiou cerca de 300 mil cidadãos no Brasil, e o Parceiros na Aprendizagem, que atingiu a marca de 13 milhões de brasileiros em 2006. A Microsoft mantém ainda programas de estímulo à navegação segura na internet, como o Navegue Protegido ( http://www.navegueprotegido.com.br ) e parcerias acadêmicas. Entre algumas dessas iniciativas os Centros de Inovação. São 21 unidades espalhadas pelo país e que já treinaram 12 mil estudantes em 50 universidades diferentes.

Na Microsoft, todos esses esforços de responsabilidade social são conhecidos como Iniciativa de Cidadania Global. “Nosso principal objetivo é criar oportunidades, incentivar o crescimento econômico e apoiar a comunidade com tecnologias inovadoras e parcerias com governos, indústria e organizações sociais locais”, afirmou Lisa Polloni, diretora de relações institucionais da Microsoft Brasil.