Unicef e Fundação lançam livro sobre enfrentamento da epidemia de zika

Capa e páginas internas do livro "Redes de Inclusão", do UnicefO Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a Fundação Altino Ventura (FAV) lançaram nesta terça-feira (22/5), em Recife, a publicação “Redes de Inclusão – Garantindo direitos das famílias e das crianças com Síndrome congênita do Zika vírus e outras deficiências“. O livro sistematiza a experiência do projeto desenvolvido pelo Unicef e parceiros em Recife (PE) e em Campina Grande (PB). O livro foi produzido pela Cross Content, sob coordenação da jornalista Andréia Peres.

Além do contexto inicial da epidemia de vírus zika no Brasil e do passo a passo da metodologia, a publicação apresenta resultados, desafios e uma síntese das lições aprendidas. Assim como projeto, o livro foi construído em rede, com base na escuta de quase uma centena de gestores, profissionais de saúde, educação e assistência social, mães, pais, cuidadores e parceiros.

O projeto Redes de Inclusão foi implementado pelo Unicef, com a coordenação técnica da FAV, a partir de março de 2016. Recife e Campina Grande foram escolhidos pois se encontravam entre os municípios com o maior número de afetados pela epidemia na época.

O Redes de Inclusão teve como objetivo elaborar e implementar uma metodologia de intervenção para a atenção integral e humanizada de mulheres gestantes, famílias e cuidadores de crianças com Síndrome Congênita do Zika vírus (SCZv).

Entre as principais conquistas do Redes de Inclusão estão um olhar mais atento para a questão das crianças e dos adolescentes com deficiência e a estruturação de uma rede intersetorial e articulada de atendimento. Os principais resultados incluem:

  • 9.541 pessoas capacitadas para a redução dos criadouros do mosquito em ações intersetoriais de mobilização.
  • 1.016 crianças e adolescentes treinados para atuar como agentes de mobilização, em parceria com autoridades governamentais.
  • 402 profissionais de saúde qualificados para o atendimento clínico assistencial.
  • 262 profissionais capacitados como multiplicadores nas áreas de saúde, educação e assistência social.
  • 5.150 exemplares de publicações do Redes de Inclusão distribuídos, a maioria para apoiar o Ministério da Saúde com as estratégias de fortalecimento da gestão de seis estados prioritários.
  • 380 kits multissensoriais distribuídos para a estimulação de crianças com alterações no desenvolvimento.

O Redes de Inclusão inclui parceria com as seguintes instituições: Fundação Altino Ventura (FAV), Ministério da Saúde, secretarias estaduais de Saúde da Paraíba e de Pernambuco, secretarias municipais de Saúde de Campina Grande e de Recife, ONU Mulheres, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Instituto de Pesquisa e Apoio ao Desenvolvimento Social (Ipads), Johnson & Johnson e associações como Aliança de Mães e Famílias Raras (Amar) e União de Mães de Anjos (UMA), entre outras.

Homenagem

O evento de lançamento também contou com uma homenagem à pediatra Katia Guimarães, que faleceu na semana passada, uma das principais responsáveis pelos trabalhos relacionadas ao vírus zika na Fundação Altino Ventura e colaboradora da publicação. Katia era diretora técnica do Centro Especializado em Reabilitação IV da FAV. “Estou honrada de ter contribuído. O projeto [Redes de Inclusão] é histórico, um marco na saúde pública. E o livro está muito lindo, com muita vida”, disse Katia, ao tomar contato com as primeiras provas da publicação.

No evento de lançamento, foi exibida uma apresentação com fotos de algumas de suas colaborações à saúde pública. O livro é dedicado a ela.