20 anos, 20 histórias: formatos inovadores para grandes reportagens

20 anos, 20 histórias: formatos inovadores para grandes reportagens

Cross Content 20 anosDesde o seu início, em 2001, a Cross Content aposta em formatos inovadores para grandes reportagens. O primeiro livro, A Caminho da escola – 10 anos de luta pela erradicação do trabalho infantil, que contou com o apoio do Instituto Souza Cruz, demandou um ano de trabalho, viagens a Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Sul, entre outras, e mais de 200 entrevistas.

A publicação foi lançada na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo, com um debate sobre trabalho infantil, que teve a participação de Ana Maria Wilheim (Abrinq), Marcos Fuchs (Andi), Salvador Soler (Unicef) e do professor Antonio Carlos Campino (FEA/USP), e uma exposição da premiada fotógrafa Nair Benedicto, que assinou todas as fotos do livro.

Publicado em 2003, o livro Crianças invisíveis (Andi, OIT, Unicef e Cortez Editora) também foi resultado de um longo trabalho de reportagem sobre trabalho infantil doméstico, que começou com a apuração de alguns meses para uma matéria para a Editora Globo sobre o assunto, em 2000. Além de uma extensa análise da cobertura da imprensa brasileira sobre o tema, o livro também traz uma série de artigos e entrevistas de especialistas como Ana Lúcia Kassouf e Irene Rizzini, entre outros, e demandou a cobertura de uma série de oficinas.

Trabalhos multiplataforma

Em 2014, lançamos outro projeto de grande reportagem e, desta vez, multimídia, com a produção de um webdocumentário e de um livro sobre exclusão escolar. Com uma equipe de jornalistas investigativos, como Daniela Arbex (vencedora do Prêmio Jabuti na categoria livro-reportagem, com Cova-312, em 2016, e autora de diversos outros livros e matérias premiados) e Paula Sacchetta (vencedora do Prêmio Vladimir Herzog na categoria reportagem, em 2012), o projeto, além de trazer dados sobre exclusão escolar em todos os municípios brasileiros, mostrou experiências de enfrentamento escolhidas por meio de oficinas com dirigentes municipais de educação e com a sociedade civil do país todo.

Em 2018, o livro Da ciência à prática (Fundação Bernard van Leer) também demandou o esforço de uma equipe de mais de uma dezena de jornalistas, que percorreu centenas de quilômetros do país inteiro para acompanhar de perto programas de apoio ao desenvolvimento infantil. A apuração envolveu ainda outros países como Chile, Uruguai, Peru, Cuba, Colômbia, Estados Unidos e Moçambique. Ao todo, foram mais de 300 entrevistas e um ano de trabalho.

Mais recentemente, em 2019, o relatório 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança, do Unicef, também envolveu uma grande reportagem, para resgatar o histórico da Convenção e do Estatuto da Criança e do Adolescente, por meio de entrevistas com os seus principais atores. Contou ainda com a realização de oficinas com 243 crianças e adolescentes do Projeto Axé, de Salvador, Redes da Maré, do Rio de Janeiro, Projeto Quixote, de São Paulo, e Organização dos Professores Indígenas Mura (Opim), do Amazonas, entre outras, para que meninas e meninos pudessem exercer seu direito a opinião e participação, por meio de desenhos e depoimentos.